Consórcio brasileiro vai reconstruir rede rodoviária junto ao porto de Luanda

16 October 2006

Luanda, Angola, 16 Out – O governo de Angola atribuiu sexta-feira a um consórcio de cinco empresas brasileiras as obras de reabilitação e melhoramento de infra-estruturas rodoviárias na área da Boavista, em Luanda, uma intervenção ao longo de 9 quilómetros.

Designado oficialmente por Programa de Construção de Infra-estrutura Rodoviárias da área da Boavista, a empreitada comporta várias obras – os acessos e infra-estruturas da zona do porto de Luanda, ligação rodoviária Boavista/Miramar, estrada da Sonils, ligação rodoviária Sonils/Rotunda da Boavista, duas passagens inferiores, no cruzamento com o caminho de ferro de Luanda e estrada de acesso ao porto de Luanda.

Esta obra inclui a reconstrução de vias com faixas de estacionamento e passeios dos dois lados, trabalhos de terraplenagem e pavimentação, sinalização horizontal e vertical, redes de drenagem de águas pluviais, de esgoto e de iluminação pública, negativos para futuras redes eléctricas e telefónicas e muros de contenção.

A conclusão destas obras deverá contribuir de forma significativa para melhorar o trânsito na capital angolana, já que a área junto ao porto de Luanda é considerada um dos maiores focos de congestionamento rodoviário.

Diariamente, os congestionamentos na região do porto acabam por se estender a toda a baixa da cidade, afectando depois uma parte considerável da área urbana.

A empreitada, cujo valor global não foi revelado, será suportada pela linha de crédito do Brasil e executada pelas empresas Construções Camargo Correia, Construtora Andrade Gutierrez, Odebrecht, Construtora Queiroz Galvão e EMSA – Empresa Sul Americana de Montagens, num prazo que vai de 18 a 20 meses. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH