Caminhos de Ferro de Moçambique querem atrair mais carga para o porto de Maputo

20 October 2006

Maputo, Moçambique, 20 Out – A Caminhos de Ferro de Moçambique (CFM) e a sua congénere da África do Sul, Spoornet, têm desenvolvido acções no sentido de encaminhar mais carga para Ressano Garcia, fronteira entre os dois países e cuja ferrovia segue para o porto de Maputo.

De acordo com o jornal Notícias, de Maputo, estima-se que Maputo perca todos os anos 7 milhões de toneladas de carga em favor dos portos sul-africanos.

Esta perda de carga representa prejuízos não só para Moçambique para também para as empresas sul-africanas das províncias de Gauteng, Mpumalanga e Limpopo que se vêem forçadas a enviar carga para o porto de Durban, entre outros, embora Maputo esteja mais próximo.

O director dos CFM para a zona Sul, Joaquim Zucule, disse que as conversações com a Spoornet revelaram a existência de muitas empresas que querem exportar as suas produções por Maputo.

A linha de Resssano Garcia movimenta cerca de 1,3 milhões de toneladas de carga por ano com a CFM a estar actualmente envolvida num programa de recuperação da linha de caminho-de-ferro a fim de aumentar a carga transportada para 2,5 milhões de toneladas.

A primeira fase da operação, a estabilização da linha, ficará concluída no final do ano a que se seguirá a sua reconstrução total, uma operação até Junho de 2007.

Zucule disse que no final do ano a linha de Ressano Garcia poderá transportar 22 comboios de carvão por semana, 12 transportando magnetite e outros sete carga geral, o que a ser mantido significaria entre 3,5 e 4 milhões de toneladas por ano. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH