Comércio sino-africano deverá ultrapassar 100 mil milhões de dólares em 2010

6 November 2006

Pequim, China, 06 Nov – A China e África deverão ter por objectivo ultrapassar 100 mil milhões de dólares de comércio bilateral até 2010, disse sábado o primeiro-ministro chinês, no primeiro dia da cimeira de alto nível sobre a cooperação sino-africana.

Wen Jiabao afirmou que, para atingir este valor, as empresas e governos chineses e africanos devem reforçar a cooperação nos sectores dos serviços, turismo, finanças e telecomunicações.

O primeiro-ministro chinês apresentou a proposta de Pequim num discurso durante o encontro do Mecanismo de Diálogo de Alto Nível e da Conferência de Empresários Chineses e Africanos.

Este encontro faz parte da Cimeira de Chefes de Estado e de Governo do Fórum de Cooperação Sino-Africano (FOCAC), que se realizou sábado e domingo em Pequim.

“A China vai encorajar as suas melhores empresas a investir em África e transferir a sua tecnologia e experiências de gestão”, disse Wen Jiabao.

Até o final de 2005, operavam em África mais de 800 empresas chinesas, que investiram no continente cerca de seis mil milhões de dólares, de acordo com dados do ministério do Comércio chinês.

Caso os países africanos e a China consigam atingir a marca de 100 mil milhões de dólares nas trocas comerciais bilaterais, tal representa um aumento de mais do dobro do volume comercial de 2005, que foi de 39,7 mil milhões de dólares.

Nos primeiros nove meses de 2006, as trocas comerciais sino-africanas cresceram 42 por cento contra o mesmo período de 2005, atingindo 40,6 mil milhões de dólares.

Segundo as estatísticas oficiais chinesas, este valor deverá ultrapassar 50 mil milhões de dólares no final de 2006, dez vezes mais que em 1995.

Criado em 2000, o FOCAC é um mecanismo de diálogo e cooperação do qual fazem parte a China e os 48 países africanos com quem Pequim tem relações diplomáticas. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH