Moçambique já terá conseguido obter o dinheiro para pagar a Portugal

10 November 2006

Maputo, Moçambique, 10 Nov – O governo de Moçambique já conseguiu obter os 700 milhões de dólares de que necessita para pagar a compra de 67 por cento do capital da Hidroeléctrica de Caho Bassa (HCB) ao Estado português, noticiou quarta-feira em Maputo o jornal Mediafax.

De acordo com o jornal, o ministro da Energia Salvador Namburete disse que o governo moçambicano já identificou os parceiros neste processo.

Nos termos do acordo assinado no passado dia 31 de Outubro em Maputo entre o presidente de Moçambique Armando Guebuza e o primeiro-ministro de Portugal José Sócrates Moçambique terá de pagar 950 milhões de dólares pela compra de 67 por cento do capital da HCB.

Desse montante 250 milhões sairão dos cofres da própria HCB e o jornal Mediafax afirma que este primeiro pagamento já foi efectuado.

Para pagar os restantes 700 milhões de dólares, Moçambique dispõe do período de um ano que, em condições excepcionais, pode ser alargado para 18 meses.

No entanto, o ministro está confiante que o prazo para o pagamento irá ser respeitado, afirma o jornal.

Instado a divulgar quais os parceiros já identificados, Namburete escusou-se a avançar pormenores e acrescentou que, a prazo, será tornado público qual o parceiro de Moçambique neste processo e de que forma o dinheiro em dívida será pago.

Contactado pelo Mediafax, o presidente da empresa pública Electricidade de Moçambique, Manuel Cumbe, disse que a alteração do controlo da HCB vai permitir avançar com outros projectos hidroeléctricos no rio Zambeze.

Os dois principais projectos a serem estudados são a construção de numa nova barragem em Mepanda Ncua, 70 quilómetros a jusante de Cahora Bassa e uma segunda central eléctrica em Cahora Bassa, na margem Norte do rio.

Cumbe disse ainda que há uma série de projectos no vale do Zambeze que estavam pendentes de uma solução para Cahora Bassa e que agora tem todas as condições para avançar. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH