Economia chinesa vai crescer 10,4 por cento em 2006, Banco Mundial

15 November 2006

Pequim, China, 15 Nov – A economia chinesa deverá crescer 10,4 por cento este ano abrandar em 2007 para 9,6 por cento, de acordo com as previsões terça-feira divulgadas pelo Banco Mundial que alertou para os desequilíbrios estruturais decorrentes do rápido crescimento.

No relatório, o BM reviu em alta as previsões de Agosto para o crescimento chinês em 2007, que apontavam para 9,3 por cento, e manteve a previsão para 2006.

No médio prazo, diz o banco, a prioridade chinesa deve ser o reequilíbrio da economia, sendo que o objectivo de curto prazo de Pequim deverá ser a redução do excedente comercial chinês, que é cada vez maior.

O governo chinês deverá favorecer o crescimento do sector dos serviços em detrimento do da indústria, aumentar o consumo interno, tornar o desenvolvimento económico mais equilibrado para toda a população e garantir que o crescimento cada vez mais ambientalmente sustentável, afirma o relatório do BM.

“O menor crescimento do investimento, para o qual as autoridades apontam, apesar de desejável por razões de eficiência, poderá agravar o desequilíbrio externo, se for atingido sem um aumento maior do consumo”, disse em comunicado Bert Hoffman, economista-chefe do Banco na China.

A economia chinesa registou uma quebra para os 10,4 por cento no terceiro trimestre de 2006, após um salto no segundo trimestre para 11,3 por cento.

“As preocupações relativas ao alto crescimento do investimento e relativas ao padrão de crescimento terão de ser resolvidas através de reformas estruturais”, refere o relatório do BM.

O BM diz também que a China tem boas perspectivas de conseguir realizar um arrefecimento suave da economia, um dos grandes objectivos do governo, ao mesmo tempo que “as condições domésticas mantêm-se favoráveis a um rápido crescimento económico”. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH