Cacau representa mais de 98 por cento das exportações de São Tomé e Príncipe

22 November 2006

São Tomé, São Tomé e Príncipe, 22 Nov – São Tomé e Príncipe arrecadou 1,39 milhões de dólares com a venda de cacau, que representou 98,4 por cento de todas as exportações do arquipélago no primeiro semestre do ano, de acordo com dados oficiais.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), registou-se uma variação homóloga positiva de 10,9 por cento na exportação de cacau de Janeiro a Junho de 2006, relativamente aos valores nominais em dobras, a moeda são-tomense.

O INE adianta que o crescimento em valor das exportações de cacau (98,4 por cento no Iº semestre de 2006 contra 93,6 por cento do igual período em 2005) deveu-se à melhoria da cotação internacional do produto no mercado estrangeiro.

Em termos de quantidade, observou-se uma variação negativa de 3,2 por cento no período em análise com a exportação do cacau a baixar de 993,6 toneladas em 2005 para 961,9 em 2006.

Comparativamente a outros produtos, o cacau foi seguido pelo coco e pelo óleo de coco que se situaram em 0,8 por cento, na lista das exportações de Janeiro a Junho de 2006.

Ainda referente ao período em análise, registou-se um défice da balança comercial de 34,36 milhões de dólares, o que significou um acréscimo de 62,4 por cento sobre igual período do semestre anterior, com uma taxa de cobertura das exportações sobre importações de 4,7 ( 6,4 no Iº semestre de 2005).

Dados do comércio externo de São Tomé e Príncipe indicam que, de Janeiro a Junho do ano em curso, as exportações e as importações cresceram 16,8 por cento e 59,5, respectivamente, em relação aos valores nominais em dobras apurados para igual período de 2005.

No arquipélago, em que as ajudas externas cobrem mais de 50 por cento das despesas orçamentais, a economia são tomense baseia-se fundamentalmente na exportação de produtos agrícolas, sobretudo, o cacau que contribui com quase 27 por cento na estrutura do PIB do país.

O cacau, que em 2005 proporcionou receitas de 3,02 milhões de dólares, atingiu 5,6 milhões em 2003, destacando-se como o maior valor monetário nos últimos oito anos das exportações, contra o registo mais baixo de 2,9 milhões em 1999.

Introduzido na segunda década do século XIX pelos colonos portugueses, a produção do cacau tem estado a baixar nas últimas décadas por falta de terras cultiváveis, ausência de financiamento e inexistência de rigor no tratamento das plantações. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH