Brasileira Vale do Rio Doce diz que Moatize tem 2 mil milhões de toneladas de carvão

29 November 2006

Maputo, Moçambique, 29 Nov – As minas de carvão de Moatize, no centro de Moçambique, têm um potencial de dois mil milhões de toneladas e uma vida útil de 35 anos, de acordo com um estudo da Companhia do Vale do Rio Doce (CVRD) do Brasil, a principal empresa interessada na exploração daqueles jazigos.

A CVRD divulgou terça-feira em Maputo os resultados do estudo de viabilidade económica, no início das discussões com o governo moçambicano sobre os dados obtidos na pesquisa sobre o potencial carbonífero das reservas de Moatize, província de Tete, localizadas a mais de mil quilómetros da capital do país.

De acordo com informações prestadas pelo director da CVRD, Galib Chaim, a empresa levou dois anos a realizar o estudo, com 22.500 páginas, tendo investido nesse esforço 30 milhões de dólares.

Participaram nos trabalhos de pesquisa 500 técnicos.

Os dados apurados pela CVRD referem que Moatize tem capacidade para produzir anualmente 26 milhões de toneladas de carvão em bruto, dos quais se podem extrair 12 milhões de toneladas de produto comercializável.

Entre os componentes a extrair, incluem-se coque, para a indústria metalúrgica, bem como carvão energético, destinado à produção de energia eléctrica.

O potencial energético apurado pela CVRD em Moatize pode ser explorado durante 35 anos, ou seja, mais 10 anos que o prazo máximo de concessão prevista pela lei moçambicana de minas, que está fixado em 25 anos.

Além do potencial existente e da capacidade de produção anual, o estudo avaliou ainda a qualidade do produto, as necessidades do sistema de transporte para o escoamento do carvão, o impacto social e económico do empreendimento, entre outros elementos. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH