Banco de Desenvolvimento de Angola já pode arrancar, afirma governo

30 November 2006

Luanda, Angola, 30 Nov – O governo angolano anunciou quarta-feira em Luanda estarem criadas as condições “técnicas e operacionais” para o início da actividade do Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA).

O comunicado do Conselho de Ministros não revela, no entanto, a data prevista para o início da actividade do BDA, instituição criada pelo governo a 15 de Março e que recebeu o património e pessoal do extinto Fundo de Desenvolvimento Económico e Social (FDES).

O BDA, tutelado pelo Ministério das Finanças, tem como objectivo principal a criação de condições para o funcionamento das empresas, facilitando aos agentes privados o desenvolvimento de projectos de investimento de médio e longo prazos, com menor custo e maior rapidez.

Nesse sentido, deverá financiar programas, projectos, obras e serviços que contribuam para o desenvolvimento económico e social do país.

Na reunião de quarta-feira, o governo angolano nomeou o Conselho de Administração do BDA, que será presidido por Teodoro da Paixão Franco Júnior, que já presidia ao FDES e liderou a Comissão de Implantação do Banco de Desenvolvimento de Angola, e terá como administradores Valentina Matias de Sousa Filipe, Amândio Cardoso Reis Esteves, Gualberto Lima Campos e Valter Rui Dias de Barros.

Na fase inicial, o BDA vai operar nas províncias de Luanda, Bié, Benguela, Huambo, Malanje e Bengo, mas pretende alargar progressivamente a sua actividade a todas as províncias angolanas.

Ainda na quarta-feira, o ministro do Comércio, Joaquim Icuma Muafumba, garantiu que os agentes comerciais poderão beneficiar de créditos bonificados com a entrada em funcionamento do BDA.

Em declarações à agência noticiosa angolana Angop, aquele ministro disse que a concessão de créditos aos comerciantes, uma questão muito solicitada pela classe, desenvolver-se-á com a criação do BDA, onde está previsto o apoio financeiro aos empresários angolanos. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH