Santander (Totta) e Crédito Predial perdoam dívida de 22,3 milhões de dólares à Guiné-Bissau

3 December 2006

Bissau, Guiné-Bissau, 04 Dez – O Grupo Santander (Totta) e o Crédito Predial Português (CPP) perdoaram uma dívida no montante de 22,3 milhões de dólares relacionada com duas empresas guineenses em fase de liquidação, afirmou sábado em Bissau o ministro das Finanças.

Em conferência de imprensa, o ministro das Finanças guineense, Vítor Mandinga, indicou que o acordo foi alcançado pelo governo guineense em Lisboa e abrange o Banco Internacional da Guiné-Bissau (BIGB), extinto em 1998, e os antigos Armazéns do Povo.

Vítor Mandinga precisou que o acordo com o Grupo Santander e o CPP permitiu o perdão de uma dívida de 17,8 milhões de dólares no caso do BIGB e de 4,5 milhões de dólares na situação que envolvia os Armazéns do Povo, montante que era devido ao antigo Totta.

“O processo de liquidação das duas empresas (em curso há quase uma década) fica agora mais facilitado e agradecemos o gesto solidário e a boa vontade do Grupo Santander (Totta) e do CPP”, afirmou o ministro guineense, que não avançou mais pormenores, sobretudo se houve ou não contrapartidas a outro nível.

O antigo Banco Totta & Açores, actualmente no Grupo Santander, manteve em Bissau uma sucursal até 2002, a única entidade bancária privada então em Bissau, altura em que abandonou o país, alegando a necessidade de reestruturação do sseus serviços.

O Totta tinha uma participação importante no BIGB, cujo crédito mal parado, segundo fontes oficiais, rondava o milhão de dólares. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH