Chinesa ZTE quer reforçar presença no Brasil

5 December 2006

São Paulo, Brasil, 06 Dez – A ZTE Corporation, o segundo maior fabricante chinês de equipamento de telecomunicações, pretende reforçar a sua presença no Brasil e na América Latina, escrevia terça-feira o jornal Gazeta Mercantil.

“Temos diversas vagas em aberto e esperamos ter mil funcionários até meados de 2007 na América Latina”, referiu ao jornal brasileiro Ângelo Aere, director-regional da ZTE para o Brasil, país onde a empresa se encontra desde 2002.

A ZTE possui subsidiárias na Argentina e Colômbia, ambas maiores do que a brasileira.

A multinacional chinesa quer fortalecer a sua presença no Brasil com base numa oferta diversificada de produtos de telecomunicações e de redes.

A empresa prepara uma campanha de marketing para divulgar melhor no Brasil a sua marca, a partir do próximo ano.

“Não queremos vincular a nossa marca apenas ao segmento de telefones portáteis nem a nichos específicos”, acrescenta Ângelo Aere.

O executivo da ZTE disse que as receitas da empresa no Brasil em 2006 vão superar as de 2004 quando a empresa vendeu mais de um milhão de telefones portáteis à empresa Vivo.

A ZTE é uma das empresas fornecedoras de telemóveis para a Vivo, “joint-venture” no Brasil entre a Portugal Telecom e a espanhola Telefónica Móviles.

Em Dezembro de 2005, a operadora portuguesa de telecomunicações Ar Telecom e a ZTE assinaram um acordo para entrar conjuntamente em mercados emergentes da Europa Central e Ásia.

O acordo incluiu a implantação em Portugal de uma plataforma avançada de serviços de voz, desenvolvida pela ZTE.

No primeiro semestre, os resultados líquidos da empresa caíram 47 por cento para 347,1 milhões de yuan com as vendas domésticas a caírem 8,8 por cento devido à falta de investimento, uma vez que as empresas aguardam a atribuição das licenças de 3ª geração.

As vendas aumentaram 1,82 por cento para 10,49 mil milhões de yuan, tendo todos os ganhos sido obtidos nos mercados emergentes que cresceram 25,8 por cento para 3,96 mil milhões de yuan ou 37,8 por cento das receitas totais no período (30,5 por cento no primeiro semestre de 2005). (macauhub)

MACAUHUB FRENCH