Economia de Moçambique deverá crescer 7,9 por cento em 2006 – Governo

13 December 2006

Maputo, Moçambique, 12 Dez – O Produto Interno Bruto de Moçambique deverá crescer 7,9 por cento em 2006, afirmou quarta-feira o ministro do Plano e Desenvolvimento, Aiuba Cuereneia, durante um debate na Assembleia da República do país.

Entre Janeiro e Setembro deste ano, as exportações de Moçambique cresceram 39 por cento em termos homólogos, tendo atingido 1,746 mil milhões de dólares.

O alumínio oriundo da maior fábrica do país, a Mozal, na Matola, gás natural, produzido em Inhambane pelo gigante sul-africano Sasol, e a electricidade da barragem de Cahora Bassa asseguraram 70 por cento das vendas de Moçambique ao exterior.

As restantes exportações envolveram, sobretudo, os produtos tabaco, camarão, algodão, açúcar e caju.

Intervindo no debate parlamentar sobre o Plano Económico e Social e o Orçamento de Estado para 2007, Cuereneia situou em 7,1 por cento a inflação registada entre Janeiro e Novembro deste ano.

Para este ano, o governo definiu como objectivo conter a inflação abaixo de 7,5 por cento, que será díficil de alcançar atendendo à tendência registada no país de os comerciantes aumentarem os preços dos seus produtos durante a quadra festiva.

A nível cambial, o ministro referiu que a moeda moçambicana, o metical, depreciou-se 5,8 por cento contra o dólar norte-americano nos primeiros onze meses do ano, período em que, no entanto, registou uma valorização de 7,3 por cento em relação ao rand sul-africano. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH