Orçamento de Estado de Moçambique para 2007 continua dependente de dadores externos

13 December 2006

Maputo, Moçambique, 14 Dez – As contribuições internacionais vão continuar cruciais para o Orçamento de Estado moçambicano, cuja proposta para 2007, quarta-feira apresentada no parlamento, apresenta um défice de cerca de 38,4 mil milhões de meticais.

A proposta de orçamento para 2007 foi defendida no parlamento pelo ministro moçambicano das Finanças, Manuel Chang, que referiu que a previsão de receitas para o próximo ano é de 32,5 mil milhões de meticais, enquanto as despesas rondarão 70,9 mil milhões de meticais (cerca de 2,8 mil milhões de dólares).

Cerca de um terço das doações internacionais será aplicada directamente no OE e o restante em apoio a projectos, disse o ministro.

Um conjunto de países, entre os quais Portugal, e organizações internacionais financiam directamente o OE de Moçambique.

A proposta para 2007 refere que a maior parte da despesa será aplicada em sectores prioritários do Plano de Acção para a Redução da Pobreza Absoluta (PARPA II), que vão consumir 68 por cento do orçamento.

Educação com 22 por cento, infra-estruturas (20,5 por cento) e saúde (12,4 por cento) são os sectores mais beneficiados, enquanto na defesa continua a redução de despesa, de 2,3 por cento. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH