Governador do banco central de São Tomé e Príncipe projecta boas perspectivas para 2007

8 January 2007

São Tomé, São Tomé e Príncipe, 08 Jan – O governador do banco central de São Tomé e Príncipe, Arlindo de Carvalho, projectou “boas perspectivas para o ano económico de 2007” e admitiu que a economia do país deverá crescer à volta de 7 por cento.

Arlindo de Carvalho fez esta declaração no habitual balanço anual da situação macro-económica do país e das perspectivas de crescimento para os próximos 12 meses.

O governador apontou como um dos pontos fortes do crescimento económico em 2007, a projectada entrada de 26 milhões de dólares provenientes da venda de blocos petrolíferos, numa zona de exploração conjunta com a Nigéria.

Para Arlindo de Carvalho, a receita de petróleo “produzirá certamente um efeito multiplicador decorrente da melhoria dos níveis de confiança na economia com aumento de investimentos, emprego e estabilidade cambial”.

Projectou para 2007 a queda da taxa de inflação para 13,5 por cento, face aos actuais 22,8 por cento (acumulado em Novembro de 2006).

De Carvalho agendou ainda a obtenção do perdão da dívida externa do país avaliada em mais de 300 milhões de dólares, logo no primeiro trimestre de 2007, no âmbito de um programa macroeconómico com o Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial, no quadro da iniciativa HIPC (Países Pobres Altamente Endividados).

Face ao ano anterior, o governador disse que a conjuntura económica internacional desfavorável influenciou negativamente o desempenho macro-económico de 2006, marcado por agravamento do nível de inflação de 17 por em 2005 para 22,8 no ano passado.

Disse ainda que 2006 foi caracterizado pela diminuição relativa do valor dos donativos externos, redução das exportações de cacau (base da economia), desvalorização da dobra (moeda são-tomense) face ao dólar e ao euro. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH