Produção de diamantes em Angola poderá atingir 10 milhões de quilates em 2008

11 January 2007

Luanda, Angola, 11 Jan – A produção de diamantes em Angola poderá atingir 10 milhões de quilates até 2008 contra os 8 milhões de 2006, afirmou quarta-feira em Luanda o presidente do conselho de administração da Empresa Nacional de Diamantes (Endiama), Arnaldo Calado.

De acordo com a agência noticiosa angolana Angop, Calado disse que uma das prioridades da empresa para o ano em curso é dar início com os trabalhos de prospecção nas províncias de Malanje, Kwanza Sul, Bié, Huíla, Namibe, Cunene, Uíge e Moxico.

Falando à margem da cerimónia de abertura das jornadas alusivas ao 26º aniversário da companhia, a assinalar-se segunda-feira, dia 15, o gestor adiantou que a partir de Junho deste ano, a Endiama Pesquisa e Produção, subsidiária do grupo, começa a produzir de forma independente diamantes, na região de Camazanza, província da Lunda Norte.

Para esta actividade, que será extensiva a todo o país, as máquinas e os equipamentos, para iniciar a produção em pequena escala, já estão a ser transportados para província da Lunda Norte.

A extracção de diamantes de forma independente, por parte da Endiama P&P, esclareceu, será desenvolvido numa extensão de três mil quilómetros quadrados.

A produção de diamantes em Angola começou em 1917 com o surgimento, a 16 em Outubro deste ano, da Companhia de Diamantes de Angola “Diamang”, uma empresa de capitais mistos de grupos financeiros de Portugal, Bélgica, Estados Unidos, Inglaterra e África do Sul.

Em 1981, as autoridades angolanas passaram a ter o controlo total da produção de diamantes no país e criam a Empresa Nacional de Diamantes (Endiama).

Além da Endiama P&P, a Endiama tem como subsidiárias a Sodiam, Enditrad, Fundação Brilhante e a Air Diamantes de Angola, assim como tem participações nos projectos mineiros de Catoca, SDM, Luó, Fucaúma, Luarica, Chimbongo, Chitotolo, SML e Yetwene. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH