Grupo indonésio, com interesses na China, procura aumentar negócios no Brasil

12 January 2007

São Paulo, Brasil, 12 Jan – O presidente do grupo indonésio RGM International (RGMI), Sukanto Tanoto, que possui interesses na China, disse em São Paulo que procura parcerias para aumentar os negócios no Brasil, escreve hoje o Valoronline

“Estamos muito abertos a discutir qualquer possibilidade de investimentos”, disse Tanoto, cujo grupo opera em 12 países e detém oito mil milhões de dólares em activos.

Através da Sateri, uma das cinco empresas subordinadas à holding, o grupo aplicou 400 milhões de dólares na expansão das instalações da Bahia Pulp, o que permitirá triplicar a capacidade anual de produção, de 115 mil toneladas.

O objectivo do investimento é transformar a fábrica brasileira, localizada na Bahia, em uma das líderes mundiais no mercado de celulose solúvel.

O insumo é usado para fazer produtos como filtros de cigarro, película de salsichas e revestimentos internos de pneus.

As obras de expansão da Bahia Pulp deverão ficar prontas até Setembro e a fábrica vai direccionar o aumento de produção para mercados como a Ásia, Estados Unidos e União Europeia.

O empresário indonésio, de ascendência chinesa e hoje radicado em Singapura revelou ainda que caso exista “algum projecto interessante do governo brasileiro ou de uma empresa brasileira, estamos dispostos a investir tanto na área de aquisições quanto novos negócios”.

Tanoto disse que um dos sectores de possível interesse é a produção de enérgia eléctrica e lembrou que uma das empresas do grupo RGMI, a Pacific Oil & Gas, tem parcerias com a Petrochina e detém centrais térmicas, movidas a óleo e a gás, na China.

Além da Sateri (celulose diferenciada e viscose) e da Pacific Oil & Gas (energia), o grupo RGMI tem outras três empresas: a April (papel e celulose), a PEC-Tech (engenharia, logística e construção) e a Asian Agri (óleo de dendê). (macauhub)

MACAUHUB FRENCH