Em São Tomé e Príncipe falta de óleo alimentar provoca duplicação do preço

16 January 2007

São Tomé, São Tomé e Príncipe, 16 Jan – A rotura dos stocks de óleo alimentar em São Tomé e Príncipe levou à duplicação do preço de venda e a consequente intervenção governamental.

Devido à sua escassez no mercado, o preço de um litro de óleo alimentar passou de 16 mil dobras (moeda são-tomense) equivalente a 1,2 dólares para 35 mil dobras ou 2,6 dólares.

A duplicação do preço daquele produto levou a ministra da Economia de São Tomé e Príncipe, Cristina Dias, a reunir-se de emergência com os responsáveis da Câmara do Comércio juntamente com vários comerciantes no sentido de se encontrar uma solução visando o reabastecimento do mercado.

Fontes do Ministério da Economia de São Tomé e Príncipe disseram à Macauhub que dentro de uma a duas semanas o mercado são-tomense será reabastecido através de importações de emergência por intermédio de dois centros comerciais privados do arquipélago.

O jornal Correio da Semana, num artigo sobre a crise que publicou no passado fim-de-semana, afirmou que a rotura do stock de óleo deveu-se à insuficiência na importação devido à taxa de câmbio e ao aumento do preço nos mercados internacionais.

Um outro órgão de imprensa de São Tomé, o Boletim Informativo governamental, reconheceu que “o preço é gritante e que mexe com o bolso do comprador”, num país onde a pobreza atinge mais de 50 por cento da população que vive com menos de um dólar por dia.

Há pouco menos de um mês, o governo de São Tomé e Príncipe decidiu isentar e reduzir taxas de importação de vários produtos alimentares incluindo óleo, no âmbito da política de promoção do desenvolvimento económico e do combate à pobreza.

Apesar do país produzir óleo de palma (extraído de palmeira), o óleo alimentar proveniente do estrangeiro é considerado um dos produtos básicos na dieta alimentar são-tomense. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH