Sonangol pretende adquirir refinaria de Luanda

16 January 2007

Luanda, Angola, 16 Jan – A Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol) está em fase adiantada de conversações com a sua congénere francesa Total para adquirir a refinaria de Luanda, a única do país.

De acordo com a agência noticiosa angolana Angop, que cita o jornal Agora, as duas partes ainda não chegaram a acordo quanto ao valor da operação, nem se a compra englobará a Total na refinaria, onde é a operadora e tem como accionista e parceiro o Estado angolano.

A intenção da Sonangol de comprar uma parte substancial da refinaria, que apenas consegue refinar 37 mil barris/dia, vem de há muito, sobretudo desde que nos últimos cinco anos o país começou a viver crises de abastecimento de combustíveis.

Devido à reduzida capacidade de tratamento que aquela refinaria tem, 35 por cento do combustível que circula no mercado angolano é importado.

A refinaria de Luanda, criada em meados dos anos 50 do século passado, é tida como obsoleta e a precisar de grandes investimentos que se pensavam não serem necessários com o surgimento do projecto de uma estrutura semelhante no Lobito com capacidade para tratar cerca de 200 mil barris diários.

Mas este último empreendimento, anunciado há mais de dez anos, tarda em sair do papel, admitindo-se que o grande entrave seja de ordem financeira calculando-se que a preços correntes a refinaria do Lobito custe 5 mil milhões de dólares. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH