FMI critica São Tomé e Príncipe no combate à pobreza mas concede mais fundos

19 January 2007

Washington, Estados Unidos da América, 19 Jan – O Fundo Monetário Internacional criticou São Tomé e Prícipe por não gastar fundos suficientes no combate à pobreza mas ao mesmo tempo mostrou-se satisfeito com os progressos alcançados nas reformas estruturais no país.

Em comunicado divulgado no final de quarta-feira, o FMI anunciou a concessão de mais 600 mil dólares a São Tomé e Príncipe ao abrigo do programa de três anos de redução de pobreza e crescimento económico.

O programa, com o valor de 4,26 milhões de dólares, foi aprovado em Agosto de 2005.

No comunicado, o vice-director administrativo do FMI, Murilo Portugal, disse que São Tomé e Príncipe demonstrou “um renovado forte empenho” em aplicar reformas ao responder de forma “adequada” a “derrapagens financeiras” e ao efectuar “fortes progressos nas reformas estruturais de apoio ao desenvolvimento e redução da pobreza”.

“As medidas correctivas que as autoridades aplicaram colocaram na generalidade o programa (de reformas) de novo no caminho certo”, o vice-director do FMI, mencionando em particular os progressos alcançados no pagamento de impostos e na a contenção de gastos.

O comunicado refere, no entanto, que os gastos para a redução da pobreza “permanecem abaixo das expectativas”, mas acrescenta que o governo de São Tomé está empenhado “em criar medidas fiscais substanciais para criar espaço para aumento dos gastos a favor dos pobres”.

“Com este objectivo as autoridades vão centrar-se em reduzir gastos não essenciais e aplicar reformas fiscais,” afirma o comunicado.

As reformas estruturais em São Tomé e Príncipe estão “a progredir bem, especialmente com os passos dados para fortalecer a administração das finanças píblicas, estabelecer a base para reformas fiscais e fortalecer a supervisão do sector financeiro”, acrescentou. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH