Cabo Verde tem de encontrar novas formas de financiamento, adverte FMI

26 January 2007

Washington, Estados Unidos da América, 26 Jan – Cabo Verde tem de encontrar novas formas de financiamento externo e de fortalecer a capacidade de gestão financeira, para preparar a entrada no estatuto de país em desenvolvimento, prevista para o próximo ano, advertiu o Fundo Monetário Internacional.

Em nota divulgada na quarta-feira à noite, o FMI afirma que o novo estatuto, na classificação atribuída pelas Nações Unidas, pode tornar “cada vez mais difícil” garantir financiamento em condições preferenciais.

Assim, “podem ter de ser desenvolvidas novas opções de financiamento externo”, comentou o sub-director do FMI, Murilo Portugal, após a primeira revisão do Instrumento de Apoio a Políticas (PSI) para o arquipélago cabo-verdiano.

O crescimento económico actual do arquipélago é considerado “francamente robusto” pelo FMI, que afirma que está a ser reforçado por “aumentos significativos no Turismo e Investimento Directo Estrangeiro”.

“O desempenho económico de Cabo Verde permanece forte, apoiado por políticas macroeconómicas prudentes e pelas reformas estruturais em implementação”, refere o responsável brasileiro.

A inflação “deve permanecer baixa a médio prazo” e “as políticas fiscais e monetárias estão em linha para reduzir substancialmente a dívida doméstica e impulsionar as reservas externas”, adianta.

Outra recomendação deixada às autoridades cabo-verdianas é que as empresas públicas “passem a operar em termos comerciais”, nomeadamente nos combustíveis, cujos preços de venda no retalho devem reflectir os custos de aquisição.

Cabo Verde passará a integrar a partir de 2008 o grupo dos países em desenvolvimento, abandonando o estatuto de país menos desenvolvido (LDC) das Nações Unidas.

O arquipélago será o primeiro país africano de língua portuguesa a ascender ao estatuto, que reflecte o nível do desenvolvimento sócio-económico dos países. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH