Edmund Ho quer consolidar cooperação de Macau com Lisboa e com a União Europeia

30 January 2007

Macau, China, 30 Jan – O chefe do Governo de Macau, Edmund Ho, quer aproveitar a visita que o primeiro-ministro de Portugal, José Sócrates, efectuará ao território para “consolidar a cooperação e intercâmbio” com Portugal e com a União Europeia.

Numa declaração escrita a pedido da agência noticiosa portuguesa Lusa, o chefe do Executivo da Região Administrativa Especial declara esperar que a visita de José Sócrates possa ser também aproveitada para uma troca de “ideias sobre como reforçar a relação Macau-Portugal, sobretudo porque Portugal assunirá no segundo semestre do ano a presidência rotativa da UE, uma oportunidade excelente para os dois lados debaterem como melhorar e aprofundar essas relações”.

O chefe do Governo português visita a República Popular da China entre hoje e 4 de Fevereiro com escalas em Pequim, Xangai e Macau, permanecendo 24 horas no território que esteve sob administração portuguesa durante cerca de 450 anos até Dezembro de 1999.

Edmund Ho recorda que a União Europeia “tem sido sempre um dos principais parceiros de Macau no comércio externo” e sublinha que as exportações deste território para o conjunto das nações do bloco europeu representaram, entre Janeiro e Novembro de 2006, 19,3 por cento do total das suas vendas, mais 28,7 por cento do que no período homólogo anterior.

Ao mesmo tempo, as importações tiveram um peso de 12,9 por cento ou mais 14,1 por cento do que entre Janeiro e Novembro de 2005.

“Macau tem um acordo de cooperação económica e comercial com a União Europeia desde os anos 90, do qual tem resultado o desenvolvimento de planos de acção e de projectos num leque vasto de áreas, incluindo formação de intérpretes-tradutores e de pessoal da área jurídica”, afirma.

Sublinhando a satisfação por receber José Sócrates em Macau depois de se ter encontrado com o líder do Governo português em meados de 2006 em Lisboa durante uma deslocação oficial que efectuou a Bruxelas e a Portugal, Edmund Ho espera que a visita da comitiva nacional possa “ajudar a dar a conhecer aos empresários portugueses o ambiente de negócios de Macau e das regiões vizinhas”.

Por outro lado, escreve Edmund Ho na declaração à agência Lusa, a visita poderá ainda incentivar os empresários a “procurar novas oportunidades de investimento e a entrar no mercado da China utilizando Macau como plataforma, servindo-se das facilidades concedidas pelo CEPA (acordo de parceira entre Macau e o continente chinês que isenta de taxas produtos locais) e pelo Parque Industrial Transfronteiriço, como ainda os mecanismos da cooperação de Grande Delta do Rio das Pérolas “9+2″”. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH