Governo de Pequim vai encorajar investimento chinês em Portugal

1 February 2007

Pequim, China, 01 Fev – O governo chinês vai encorajar as empresas chinesas a investirem nos sectores de ponta da indústria portuguesa, como tecnologias de informação, escreve hoje a Xinhua, agência noticiosa oficial chinesa.

A agência noticiosa chinesa refere que o vice-ministro do Comércio, Yu Guangzhou, garantiu que o governo vai apoiar empresas chinesas que desejem investir em Portugal nos sectores da logística, tecnologias de informação e nas indústrias automóvel e electrónica.

Também o primeiro-ministro chinês Wen Jiabao assegurou quarta-feira que a China está empenhada em aprofundar as relações comerciais e económicas com Portugal, num encontro com o primeiro-ministro português José Sócrates que se encontra de visita à República Popular da China.

“Depois da definição do desenvolvimento das relações políticas com a assinatura do Acordo de Parceria Estratégica Global, estamos empenhados em desenvolver as relações comerciais e económicas com Portugal”, disse Wen Jiabao, falando no início de um encontro com José Sócrates, que decorreu no Grande Palácio do Povo em Pequim.

Após o encontro, responsáveis dos ministérios das Finanças da China e de Portugal assinaram um memorando de entendimento para abertura de uma linha de crédito de 300 milhões de euros com vista a apoiar exportações portuguesas para o mercado chinês e que envolverá a Caixa Geral de Depósitos e o Banco da China.

A linha de crédito destina-se sobretudo a contribuir para importações chinesas de bens de equipamento portugueses.

O primeiro-ministro, José Sócrates, apelou entretanto na quarta-feira à constituição de parcerias empresariais luso-chinesas, para que se opere em conjunto nos mercados dos países africanos de expressão portuguesa e no Brasil.

O apelo de Sócrates foi feito durante a abertura do Fórum de Cooperação Empresarial entre Portugal e China 2007 e na cerimónia de lançamento da Archway – uma empresa de direito chinês detida pela Portugal Telecom e por uma firma dependente do Ministério das Comunicações da China.

As parcerias abrem enormes potencialidades às empresas portuguesas e chinesas para actuarem nos mercados de África e da América do Sul”, sustentou o primeiro-ministro português.

“Estamos preparados para constituir parcerias com a China nos países africanos de expressão portuguesa e no Brasil. Nesses países, portugueses e chineses podem trabalhar em conjunto”, assegurou ainda José Sócrates.

O primeiro-ministro português visita , para além de Pequim, Xangai e Macau. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH