Concorrência chinesa travou projecto da portuguesa Efacec em Angola

22 February 2007

Lisboa, Portugal, 22 Fev – A concorrência chinesa travou o projecto de investimento da Efacec numa fábrica de material eléctrico em Angola mas não colocará em causa o forte crescimento da facturação naquele país, afirmou no início da semana o administrador executivo da empresa.

Em entrevista à agência noticiosa portuguesa Lusa, Alberto Martins disse que para que o investimento de 4 milhões de euros numa fábrica de transformadores eléctricos de distribuição fosse viável era necessário um contrato-programa que garantisse as encomendas durante pelo menos cinco anos.

Mas duas das empresas eléctricas de Angola – a Empresa Nacional de Electricidade e a Empresa de Distribuição de Electricidade de Luanda – estão mais interessadas na importação de produtos da China, coberta pela linha de crédito que Pequim concedeu a Luanda.

A fábrica de transformadores eléctricos em Angola, projecto que esteve muito perto de ser concretizado há um ano, deveria criar 100 postos de trabalho directos e gerar uma facturação anual de perto de cinco milhões de euros.

A maior parte da maquinaria está já em Luanda, desactivada de uma fábrica da empresa portuguesa em Macau.

Mesmo assim, a facturação da empresa portuguesa no país está a crescer a 100 por cento ao ano e deverá manter esse ritmo até 2009, beneficiando dos projectos de reconstrução de Angola.

Em 2006, a Efacec facturou 50 milhões de euros em África, incluindo os países do Magrebe, perto de 10 por cento do total do grupo, que está também presente no Brasil, Estados Unidos e Argentina, entre outros países.

No Brasil, a Efacec alargou a sua presença a Pernambuco, quarto Estado onde actua directamente, e prevê triplicar a sua facturação até 2009.

A presença em Pernambuco foi assegurada pela aquisição, em Janeiro, de uma empresa de reparação de material eléctrico em Fortaleza, capital do estado, mas a aposta no Brasil vai sobretudo para o desenvolvimento de raiz da actividade da empresa.

O grupo tem uma pequena unidade industrial em São Paulo e escritórios de representação em Salvador e Manaus, além da unidade agora adquirida em Fortaleza.

A sua actuação concentra-se na automação de sistemas de energia eléctrica, sistemas de alimentação electrónicos, telecomunicações, logística industrial e aeroportos, engenharia e serviços. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH