Banco Mundial aconselha aposta no sector privado em Angola

26 February 2007

Luanda, Angola, 26 Fev – Angola deve apostar no sector privado por constituir uma das bases para o futuro desenvolvimento económico e social do país, afirmou sexta-feira em Luanda o economista sénior para a Região de África do Banco Mundial, Jorge Saba Arbache.

Arbache fez a afirmação durante o lançamento do relatório sobre os Indicadores do Desenvolvimento em África de 2006. O documento, que avalia cerca de 450 indicadores macro-económicos, sectoriais e sociais de 53 países do continente, retrata um continente com vários países a registarem um progresso notável, outros estagnados e alguns seriamente atrasados.

Jorge Arbache referiu que a grande aposta para que Angola cresça, se desenvolva, crie mais postos de trabalho, aumente a produção e a venda dos seus próprios produtos e pense no comércio intra-regional passa pelo desenvolvimento do sector privado.

O relatório refere que vários países africanos conseguiram elevar o nível de vida, em percentagens significativas, reduzindo os índices de pobreza da sua população.

O documento confirma também o facto de 16 países terem mantido taxas anuais de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) superiores a 4,5 por cento desde a década de 90. A inflação no continente baixou para valores historicamente baixos e foram eliminadas a maior parte das distorções da taxa de câmbio, ao mesmo tempo que os défices fiscais estão a baixar.

O relatório refere igualmente que o continente recebeu unicamente 1,6 por cento da totalidade do investimento directo estrangeiro (10.100 milhões de dólares) e aloja seis dos dez países considerados como tendo o ambiente mais difícil para se lançar um negócio.

Apesar do progresso, o relatório destaca numerosos desafios com que África se depara, sendo a única região do mundo onde o número de pobres continua a aumentar. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH