Empresa British Geological Survey vai reavaliar dados sísmicos em São Tomé e Príncipe

5 March 2007

São Tomé, São Tomé e Príncipe, 05 Mar – A empresa britânica British Geological Survey (BGS) iniciou um estudo de reavalição dos dados sísmicos sobre a existência de petróleo na zona económico exclusiva de São Tomé e Príncipe, soube-se sexta-feira em São Tomé de fonte oficial.

De acordo com o boletim informativo da Agência Nacional de Petróleo, ANP, de São Tomé e Príncipe, o consórcio formado pela britânica BGS e uma outra escocesa, a Aupec, irá reavaliar um estudo sísmico já realizado pela Petroleum Geo-Serviçe, PGS, da Noruega, na base de um acordo assinado em 2001 com as autoridades são-tomenses.

O processo de reavaliação dos estudos sísmicos, que conta com a assistência técnica do Banco Mundial, deverá estar concluído em princípio de Maio próximo, de acordo com o Boletim Informativo da ANP, publicado este fim-de-semana na capital são-tomense.

Estudos da PGS apontam que foram identificadas estruturas geológicas passíveis de conter hidrocarbonetos num total de 10870 Kms em águas profundas nos mares do arquipélago, numa pesquisa que visava a descoberta relativa ao potencial petrolífero existente na zona.

Contratada na sequência de um concurso público, lançado pela Agência Nacional de Petróleo são-tomense, a BGS terá ainda a missão de produzir um mapa especifico da área, contendo a divisão de eventuais blocos de petróleo, bem como recomendar os levantamentos sísmicos.

A decisão sobre a reavaliação visa, essencialmente, a realização de um primeiro leilão de blocos na zona económica exclusiva de São Tomé e Príncipe, prevista para finais de 2007, ainda de acordo com o boletim trimestral da Agência Nacional de petróleo são tomense.

Além da zona exclusiva, São Tomé e Príncipe dispõe ainda de uma área marítima de exploração conjunta com a Nigéria, surgida na base de um tratado que estabelece 60 por cento de receitas petrolíferas para os nigerianos e restante 40 para o arquipélago são-tomense.

Para além da receita proveniente de um único bloco adjudica a petrolífera norte-americana, Chevron Texaco, que já anunciou descoberta de petróleo, mas sem garantia comercial, São Tomé e Príncipe espera arrecadar, ainda este ano, 28 milhões de dólares de bónus de assinatura de contrato de três blocos da zona conjunta. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH