Luanda tem os escritórios mais caros de África, afirma Cushman Wakefield

7 March 2007

Lisboa, Portugal, 07 Mar – A capital angolana, Luanda, tem os escritórios mais caros de África, seis vezes o valor registado em Joanesburgo, principal cidade da maior economia do continente, África do Sul, de acordo com dados divulgados terça-feira pela consultora imobiliária Cushman Wakefield.

O custo habitual do metro quadrado de escritórios em Luanda ascende a 607 dólares por ano, de acordo com a consultora, o que significa que o custo mensal de um escritório de cem metros quadrados na capital angolana ronda 5.000 dólares.

O elevado custo, superior ao registado em cidades do Médio Oriente como Doha ou Dubai, é explicado pelo número “extremamente limitado” de escritórios de qualidade.

“Luanda é o principal centro da indústria extractiva dentro do país, logo a procura é elevada”, afirma a Cushman Wakefield.

No estudo, Maputo surge também no topo da tabela, com um custo habitual do metro quadrado entre 200 e 385 dólares anuais.

Um escritório de cem metros quadrados na capital moçambicana custaria assim até 3.200 dólares mensais.

“O mercado [moçambicano] continua a desenvolver-se, e um número significativo de novos projectos têm conclusão prevista entre o final de 2006 e 2007”, adianta.

O preço do metro quadrado de escritórios em Maputo está ao nível máximo registado em Lagos (365 dólares), maior cidade da Nigéria, em Dar-es-Salam (228 dólares), na Tanzânia, ou Kampala (226 dólares), Uganda.

É ainda mais do triplo do registado em Joanesburgo (66 – 99 dólares), principal cidade da África do Sul, e mais de duas vezes o valor da capital sul-africana, Pretória (160 dólares).

No continente africano, Maputo surge apenas abaixo dos países do norte, como a Argélia ou o Egipto. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH