Construção, diamantes e energia foram sectores de Angola mais dinâmicos em 2006

8 March 2007

Lisboa, Portugal, 08 Mar – Os sectores da construção, diamantes, indústria transformadora e energia foram os mais dinâmicos da economia angolana em 2006, crescendo acima do sector petrolífero, o que tem maior peso no PIB do País, afirma o banco BPI.

“O crescimento de 2006 continuou a ser principalmente sustentado pelo sector petrolífero, mas foi notória a evolução do não-petrolífero, [alcançada] apesar da queda do produto da agricultura e silvicultura”, afirma o departamento de Estudos Económicos e Financeiros do BPI, em relatório quarts-feira divulgado.

O português BPI controla o Banco Fomento, um dos principais bancos angolanos.

Enquanto o crescimento do sector petrolífero, segundo as últimas projecções, terá abrandado de 26 para 21,2 por cento, o do não-petrolífero acelerou de 14,1 para 17,2 por cento.

Em relação à inflação, o BPI espera que “uma trajectória de queda nos próximos meses”, depois de um aumento no final do ano passado.

A meta do governo para a inflação – 10 por cento – não foi alcançada em 2006, mas é exequível este ano, “assumindo a manutenção da estabilidade cambial”.

No ano passado, a economia angolana cresceu 19,5 por cento, um ligeiro abrandamento em relação a 2005, e este ano deverá acelerar para 31,2 por cento, de acordo com o Ministério das Finanças.

O Banco Mundial prevê um crescimento de 30,2 por cento, graças a uma aceleração de 40,9 por cento no sector petrolífero, que deverá produzir 736,9 milhões de barris, mais 48 por cento do que no ano passado. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH