BM e FMI perdoam 91 por cento da dívida externa de São Tomé e Príncipe

16 March 2007

São Tomé, São Tomé e Príncipe, 16 Mar – O Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional decidiram perdoar 91 por cento da dívida externa de São Tomé e Príncipe, equivalente a 327 milhões de dólares – anunciou quinta-feira em São Tomé a ministra são-tomense de Plano e Finanças, Maria Tebus.

Maria Tebus, que exerce também o cargo de vice-primeira-ministra, fez esta declaração na Assembleia Nacional, a designação local do parlamento, minutos depois da aprovação do Orçamento Geral do Estado para 2007.

Citando um documento do Banco Mundial (BM) e do Fundo Monetário Internacional (FMI), a governante são-tomense disse que a decisão deveu-se “às reformas coordenadas” aplicadas pelas autoridades financeiras do arquipélago nos últimos anos.

O perdão surgiu na base do programa macroeconómico estabelecido há seis anos conjuntamente com o BM e FMI no âmbito do projecto de luta contra a pobreza, através da Iniciativa para os Países Pobres Altamente Endividados ( HIPIC, na sigla em inglês).

A ministra são-tomense disse aos jornalistas que os restantes 9 por cento da dívida externa, equivalente a 33 milhões de dólares, serão alvo de negociação conjuntamente com os parceiros bilaterais, visando a sua anulação ou pagamento.

As constantes conturbações político-sociais, a desvalorização da dobra, (moeda são-tomense) e o atraso na aprovação da lei de petróleo foram alguns dos motivos que estiveram na base do adiamento do perdão da divida, inicialmente programado para 2003. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH