Problemas com uma companhia aérea motivaram menos turistas em 2006 em São Tomé e Príncipe

9 April 2007

São Tomé, São Tomé e Príncipe, 09 Abr – São Tomé e Príncipe recebeu 9.354 turistas em 2006, uma quebra anual de 11 por cento, afirmou sexta-feira em São Tomé o director do Turismo de São Tomé e Príncipe, Hugo Menezes.

Em declarações à macauhub, Hugo Menezes disse que a quebra no número de turistas ficou a dever-se, sobretudo, às “perturbações aéreas” registadas no final de 2006, na sequência da suspensão dos dois voos semanais da Air Luxor, uma das companhias que ligava a capital são-tomense à Europa.

Além do desencorajamento por cancelamento de ligações aéreas, o director do turismo apontou ainda a inexistência de promoção dos serviços turísticos, a ausência do país nas feiras internacionais de turismo, bem como a fraca infra-estrutura hoteleira do arquipélago.

Em termos de países de proveniência dos visitantes, Hugo de Menezes disse que das 9.354 entradas em 2006 Portugal liderou a lista com 4.421 turistas, seguido da França com 989, Angola com 722, Alemanha com 432 e Cabo Verde com 343 turistas, a que se seguem a Espanha, Gabão, Camarões, Brasil e Nigéria.

Em 2005, a lista dos visitantes estrangeiros foi liderada por Portugal com 5469 turistas, seguido da França com 1242, Angola 552 e Nigéria com 473.

Para 2007, o director do turismo de São Tomé e Príncipe admite um aumento “considerável” de turistas em quase 80 por cento tendo em conta a abertura de novas ligações aéreas, construções de instalações turísticas, bem como a diminuição “drástica” de casos de malária no arquipélago.

Em Maio de 2006, o governo de São Tomé e Príncipe, chefiado por Tomé Vera Cruz, projectou arrecadar, a partir de 2010, mais de 22 milhões de dólares com uma previsível entrada de 25 mil turistas por ano no âmbito de um plano estratégico nacional para desenvolvimento do sector. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH