Empresas chinesas querem exportar pesticidas para o Brasil

24 April 2007

São Paulo, Brasil, 24 Abr- – As indústrias de pesticidas da China, cuja produção cresce em média 9,62 por cento ao ano desde 1995, querem vender os seus produtos no Brasil sem intermediários, escreve hoje o Valor Económico.

Quatro das maiores empresas chinesas do sector aceleraram os pedidos de registo de pesticidas genéricos junto do governo brasileiro e procuram sócios para consolidar os seus negócios no Brasil.

Flávio Hirata, consultor da empresa Allier Brasiol, disse ao Valor Económico que os grupos chineses (que preferem o anonimato), não exportam agroquímicos para o Brasil e já solicitaram o registo por equivalência de fungicidas e herbicidas para dar início às operações no Brasil.

“As indústrias chinesas já tinham interesse no mercado brasileiro desde 2000, mas a demora na aprovação dos registos dificultava as operações dos chineses. Com a aprovação em 2006 de registos por equivalência, esse prazo foi reduzido de cinco anos para seis meses”, disse.

Luís Eduardo Rangel, coordenador geral de pesticidas do Ministério da Agricultura revelou que 13 produtos (nenhum chinês) já foram aprovados depois da nova lei e outros 300 esperam avaliação.

Após obterem sinal verde para os pedidos de registo, o objectivo dos grupos chineses, conforme o consultor da Allier Brasiol, é fazer parcerias com empresas brasileiras que tenham uma rede de distribuição eficiente para facilitar as vendas.

Actualmente,na China, existem 1.803 fábricas de pesticidas.

Entre 1995 e 2005, as exportações chinesas cresceram, em média, 25 por cento ao ano – de 47,7 mil toneladas em 1995 para 428 mil toneladas em 2005.

“O número de produtos finalizados e importados da China passou de 68 para 117 entre 2000 e 2006. O total de princípios activos (produzidos nas fábricas brasileiras) passou de 235 para 242 no mesmo período”, de acordo com o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Agrícola (Sindag).

Desde 2000, as importações brasileiras de pesticidas da China decuplicaram, passando de 1,7 milhões de dólares para 14,2 milhões, de acordo com dados oficiais.

No total, as importações brasileiras de pesticidas mais que duplicaram em igual intervalo passando de 248 milhões para 550 milhões de dólares. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH