Ministro das Finanças de Angola apela à reforma do Banco Africano de Desenvolvimento

17 May 2007

Xangai, China, 17 Mai – O ministro das Finanças de Angola apelou quarta-feira em Xangai à reforma do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), considerando-o preso a modelos de políticas de desenvolvimento que não dão resultados, em declarações no primeiro dia da cimeira da instituição.

“O BAD tem de se reestruturar para atacar de vez a questão da redução da pobreza em África”, afirmou José Pedro de Morais, em declarações à agência noticiosa portuguesa Lusa em Xangai, após a cerimónia de abertura da reunião de governadores do banco.

“As políticas do banco são ainda muito influenciadas por políticas que durante muito tempo aconselharam os países africanos a não investir, a manter os equilíbrios macro-económicos. Por isso, os nossos países não conseguiram criar infra-estruturas que permitam o desenvolvimento do mercado e da iniciativa privada. É disso que os nossos países têm necessidade quando se trata de combater a pobreza”, disse o ministro, que liderou a delegação angolana ao encontro de Xangai.

Esta é a segunda vez nos 43 anos de história da instituição que a cimeira do banco decorre fora de África, depois de Madrid ter sido anfitriã em 2001, tendo José Pedro de Morais defendido que a China oferece um modelo de desenvolvimento diferente e com melhores resultados do que as políticas propostas pelas grandes instituições de crédito multilaterais.

“Ninguém duvida que a China retirou mais gente da pobreza nos últimos 10 anos que todos os programas do Banco Mundial nos últimos 50”, disse o ministro das finanças de Angola.

Xangai, o centro económico e financeiro da China, acolhe até hoje a cimeira anual do BAD, com a participação de governadores de bancos centrais, ministros da economia e finanças e três chefes de Estado, entre os quais Pedro Pires, de Cabo Verde.

No encontro participam os representantes dos 53 membros africanos do BAD e representantes dos 24 membros não-africanos, para além de delegações das maiores instituições financeiras multilaterais. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH