Segunda unidade de processamento de areias pesadas em Moçambique começa a operar ainda este ano

5 June 2007

Chibuto, Moçambique, 05 Jun – A unidade de processamento de areias pesadas de Chibuto, orçada em 500 milhões de dólares e capaz de produzir 800 mil toneladas de ilmenite por ano, entrará em funcionamento antes do final do ano, anunciou segunda-feira o administrador de Chibuto, Zacarias Couto.

Com a implementação do Projecto de Areias Pesadas de Chibuto, sul do país, a mais de 100 quilómetros de Maputo, Moçambique passará a contar com duas unidades de processamento desse tipo, uma vez que também entrou este ano em funcionamento a unidade de areias pesadas de Moma, centro, cuja construção custou pouco mais de 460 milhões de dólares.

Sem apontar números, o administrador de Chibuto, um dos distritos mais pobres no sul de Moçambique, referiu que o empreendimento trará muitos benefícios económicos à zona, principalmente com a criação de postos de trabalho.

A partir das areias pesadas que abundam no Chibuto, a Corridor Sands, detida em 100 por cento pela australiana BHP Billiton, que ganhou aquela concessão mineira, pretende extrair ilmenite, minério básico para a produção de titânio.

A BHP tem também uma importante participação na fábrica de alumínio da Mozal, uma das maiores do mundo, onde controla 47 por cento do seu capital.

Por sua vez, a irlandesa Kenmare, que detém a concessão das areias pesadas de Moma, espera produzir por ano 800 mil toneladas de ilmenite, 21 mil toneladas de rútilo e 56 mil toneladas de zircão.

Na fase de expansão, prevista para finais de 2009, a Kenmare prevê gerar 1,2 milhões de toneladas de ilmenite. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH