Balança Comercial entre Portugal e a China tem de ser mais equilibrada – Icep

7 June 2007

Lisboa, Portugal, 07 Jun – A balança comercial Portugal-China, que deverá valer mais de mil milhões de euros em 2007, tem de ser equilibrada a favor do lado português, defendeu quarta-feira em Lisboa o presidente do Icep Portugal, organismo de promoção do investimento e do comércio externo.

Falando na conferência “Portugal-China: Para Uma Parceria Estratégica”, organizada pela Sociedade de Geografia de Lisboa e pelo Centro Português de Negócios na Ásia, Basílio Horta salientou o grande crescimento das trocas nos últimos anos embora o “destaque” da China entre os principais fornecedores de Portugal não seja recíproco, pelo que “é preciso corrigir os números”.

Nos últimos seis anos as exportações portuguesas para a China cresceram quatro vezes, de um valor-base muito baixo, enquanto as importações do mesmo país subiram duas vezes, com a balança comercial no ano passado a ser favorável à potência asiática emergente em perto de 500 milhões de euros.

Para “corrigir” a situação, salientou, a aposta passa pelo aumento da exportação de serviços associados às tecnologias de informação e comunicação, máquinas e equipamentos industriais e bens de grande consumo, entre estes os materiais de construção e decoração, moda e produtos alimentares de alta qualidade, como azeite e vinho.

Basílio salientou ainda a necessidade de captar mais investimento directo da China, afirmando que Portugal “pode ser uma base importante para a indústria” chinesa.

Exemplo disto, afirmou, são os projectos logísticos em desenvolvimento no Poceirão, Sines e Beja, nos quais Portugal quer envolver as empresas chinesas interessadas no mercado europeu. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH