Agência Nacional de Petróleo diz que São Tomé e Príncipe tem petróleo em terra e no mar

2 July 2007

São Tomé, São Tomé e Príncipe, 02 Jul – As autoridades petrolíferas de São Tomé e Príncipe identificaram 18 locais que poderão conter hidrocarboneto nas aguas marítimas do arquipélago e admitiram ainda a existência de petróleo em terra, informaram sexta-feira em São Tomé fontes da Agência Nacional de Petróleo.

A revelação feita sexta-feira durante um seminário organizado pela Agência Nacional de Petróleo, ANP, no âmbito da publicação dos estudos sísmicos realizados na zona marítima exclusiva de São Tomé e Príncipe.

Um consultor internacional, Jonh Symons, baseando-se em pesquisas sísmicas efectuadas nas aguas marítimas são-tomenses, revelou a existência de 18 locais que poderão conter hidrocarbonetos, num estudo que sustenta 8,36 por cento de probabilidade de petróleo para produção comercial.

“Não há certeza de nada, mas a probabilidade de encontrar petróleo é de 8,36 por cento nos 18 locais identificados”, sublinhou Jonh Symons, acrescentado que as perfurações poderão atingir entre 2400 a 3000 metros de profundidade.

Nas intervenções, os especialistas foram unânimes relativamente à existência de petróleo na zona marítima exclusiva de São Tomé e Príncipe devido à sua proximidade com a área de exploração conjunta entre o arquipélago e a Nigéria, mas, sem afastar hipótese de eventuais insucessos por questões naturais.

Em Janeiro último, a petrolífera norte-americana, a ChevronTexaco anunciou a descoberta de petróleo, mas ainda sem garantia comercial, na zona conjunta entre São Tomé e Príncipe e Nigéria, área próxima da zona exclusiva do arquipelago são-tomense.

Um dos oradores do seminário, o geólogo Osvaldo Abreu, director técnico da ANP sublinhou que “dentro das probabilidades, poderá haver petróleo como não, por isso, temos de esperar pelas perfurações para se confirmar”.

As autoridades são-tomenses agendaram para 2008 o leilão de blocos de petróleo da zona marítima exclusiva com apoio do Banco Mundial que tem prestado assistência técnica no âmbito das pesquisas sísmicas efectuadas pela Petroleum Geo-Service, da Noruega e reavaliada pela britânica, a Bristish Geological Survey (BGS).

Questionado obre a eventualidade de petróleo em terra, o director técnico da ANP, Osvaldo Abreu admitiu a hipótese da existência deste recurso “on shore” em profundidade de pouco mais de 3000 mil metros de acordo com um “estudo de campo” efectuado há uma semana com ajuda dos peritos da britânica BGS.

Abreu sublinhou que “temos de fazer uma pesquisa sísmica, perfurando todo o manto da camada vulcânica do arquipélago para confirmar a existente de eventuais recursos”, numa perspectiva para exploração em terra. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH