Brasil junta-se aos Estados Unidos e vai protestar contra valor da moeda chinesa

13 July 2007

Brasília, Brasil, 13 Jul – O ministro brasileiro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou quinta-feira em Brasília que o país vai juntar-se aos Estados Unidos para pressionar o governo da China a permitir a valorização do yuan relativamente ao dólar e a outras moedas.

Na sequência de um encontro na capital brasileira com o secretário do Tesouro dos Estados Unidos da América, Henry Paulson, Mantega disse que independentemente da vontade de Washington “é do interesse do Brasil que haja uma valorização da moeda chinesa”.

“O valor da moeda chinesa está a ser artificalmente desvalorizado pelas intervenções governamentais que, a não existirem, fariam com que as mercadorias chinesas custassem 30 a 40 por cento mais”, adiantou o ministro.

Mantega disse ainda que esses 30 a 40 por cento aplicados nos têxteis e nos calçados, os dois principais sectores de que os empresários brasileiros mais reclamam da concorrência dos chineses, seriam o suficiente para que os chineses perdessem na concorrência com os brasileiros.

A pressão sobre o nível artificial da moeda chinesa será efectuada pelo Brasil tanto no Fundo Monetário Internacional como no G-20, grupo de países do qual participam Brasil e China, e que em 2008 terá o Brasil como coordernador financeiro. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH