Chinesa Baosteel e Vale do Rio Doce vão construir siderúrgica no Brasil

19 July 2007

São Paulo, Brasil, 19 Jul – O Estado brasileiro do Espírito Santo assinou um acordo com a Baosteel e a Vale do Rio Doce para construir uma siderúrgica que produzirá placas de aço para exportação, disse ao Macauhub o secretário de Desenvolvimento do Estado do Sudeste brasileiro.

“Hoje no Brasil são produzidas 34 milhões de toneladas de aço por ano. Sozinha, esta fábrica no Espírito Santo produzirá 5 milhões de toneladas anuais nessa primeira fase, podendo aumentar a produção, para o dobro, para atender ao mercado brasileiro posteriormente”, disse Guilherme Dias, que representou o Estado brasileiro na assinatura do protocolo em Xangai, na terça-feira.

O valor do investimento não foi divulgado mas o jornal de Hong Kong South China Morning Post escreve hoje que se situa na ordem dos 4 mil milhões de dólares cabendo ao grupo chinês entre 80 e 90 por cento do investimento.

A siderúrgica demorará cinco anos a construir e criará 21.500 postos de trabalho.

O secretário estadual informou o Macauhub que o governo do Espírito Santo ofereceu a área onde ficará instalada a siderúrgica.

A Vale ficará responsável pela infra-estrutura, logística e fornecimento de minérios, e a Baosteel será responsável pelo controlo e administração da fábrica.

Dentro de dois meses, o grupo chinês instalará um escritório em Vitória (capital do Espírito Santo) para começar a desenvolver o projecto.

Em nota, a mineradora brasileira disse que a iniciativa “é consistente com a estratégia da Vale de atrair novos investimentos em siderurgia no Brasil”.

Em 2004, a Vale e a Baosteel haviam assinado um contracto de 2,5 mil milhões de dólares para a construção de uma unidade no Estado do Maranhão, no Nordeste do Brasil, com capacidade de produção de 4,1 milhões de toneladas ao ano.

As duas empresas e o governo do Espírito Santo recusaram-se a comentar se o projecto no Sudeste do Brasil vai ocupar o lugar da siderurgica que estava sendo planeada para o Estado do Maranhão, que não entrou em acordo com a Vale e a Boasteel sobre a cidade onde seria instalada a fábrica.

A nova unidade siderúrgica deverá ser instalada no município de Anchieta (cerca de 80 km de Vitória) numa área de 2,5 hectares desapropriada por um decreto do governo do Espírito Santo na semana passada.

“A região de Anchieta já conta com um porto, que será ampliado, pequenas fábricas de ‘pellets’ (material feito com sobras de madeiras e que serve para abastecer lareiras e caldeiras) e várias rodovias próximas, além de um ramal ferroviário que será construído pela Vale do Rio Doce”, afirmou o secretário.(macauhub)

MACAUHUB FRENCH