Portuguesa ParaRede espera que participada de Angola facture cerca de 2,5 milhões de euros em 2008

19 July 2007

Lisboa, Portugal, 19 Jul – A portuguesa ParaRede espera que a sua participada em Angola facture entre 2 e 2,5 milhões de euros em 2007, disse quarta-feira, em Lisboa, o presidente, Pedro Rebelo Pinto.

O presidente da empresa revelou que a ParaRede detém 51 por cento do capital de uma sociedade em Angola, em que o grupo português de construção Mota-Engil, implantado naquele país, participa com 30 por cento.

Rebelo Pinto adiantou que a sua participada angolana vende software, networking e infra-estruturas de tecnologias de informação, “sobretudo para clientes multinacionais”.

O presidente da ParaRede disse ainda que o grupo pretende “ter uma presença local nos países africanos de língua portuguesa (PALOP), para vender os mesmos produtos e serviços” que apresenta em Portugal, estando em análise a criação de uma estrutura local em Moçambique, que poderá concretizar-se ainda este ano, e em Cabo Verde, que poderá efectivar-se em 2008.

Rebelo Pinto revelou que a ideia para Moçambique e Cabo Verde é “criar empresas de raiz, talvez com parceiros locais”.(macauhub)

MACAUHUB FRENCH