Angola, Namíbia e África do Sul criam organismo para combater pesca ilegal

24 July 2007

Windhoek, Namíbia, 24 Jul – Angola, Namíbia e África do Sul criaram sexta-feira em Windhoek um organismo destinado a combater a pesca ilegal e ajudar a manter os ecossistemas das águas territoriais dos três países vizinhos no Oceano Atlântico.

“A Comissão da Corrente de Benguela (CCB) é a primeira instituição do género em todo o mundo. Os nossos países têm agora, em conjunto, a missão de combater a pesca ilegal, e gerir os “stocks” de pescado e os problemas ambientais, como a poluição”, destacou o ministro das Pescas namibiano, Abraham Iyambo.

Por outro lado, acrescentou Iyambo, a nova entidade vai tentar “mitigar os impactos da prospecção de petróleo, diamantes e gás”, bem como proceder a pesquisas científicas na vida marinha das águas comuns.

Os três países acordaram na criação da CCB numa reunião realizada na Cidade do Cabo em Agosto de 2006, mas só agora, com o apoio financeiro do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), é que foi possível levar o projecto por diante.

O nome da nova organização advém da fria, mas rica e nutriente, corrente de Benguela, proveniente das águas da Antárctica.

O coordenador do PNUD na Namíbia, Simon Nhongo, adiantou à imprensa local que o Programa de Ambiente Global da ONU vai contribuir com cinco milhões de dólares para montar o respectivo secretariado. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH