Espanha passa a parceiro privilegiado de Angola na UE, a par de Portugal

20 August 2007

Madrid, Espanha, 20 Ago – Espanha está a assumir o estatuto de parceiro privilegiado de Angola na União Europeia, a par de Portugal, tirando partido do distanciamento crescente de Luanda relativamente a França.

A aproximação entre Luanda e Madrid, de acordo com a “newsletter” Africa Monitor, resulta de uma política levada a cabo pelas próprias autoridades angolanas, que acreditam na capacidade e conhecimento das empresas espanholas para apoiar a actual fase de reconstrução nacional.

Além disso, no plano diplomático, Luanda considera que Portugal e Espanha, juntos, podem colmatar o vácuo francês e ser os seus ”parceiros de confiança” na União Europeia.

As relações com França, antigo parceiro económico e diplomático de Luanda, têm vindo a conhecer momentos de tensão nos últimos anos, devido aos casos judiciais nos tribunais franceses e, mais recentemente, à interdição da Taag, companhia aérea angolana, de voar para a Europa.

A interdição, que em Angola teve grande impacto mediático, levando a críticas violentas à UE e pedidos públicos de retaliação, que acabaram por não se concretizar, foi justificada pelo incumprimento de normas comunitárias de voo nos aparelhos – que terá sido apontada pelas autoridades aeroportuárias francesas.

A par destes focos de tensão, Luanda tem dado múltiplos sinais de querer estreitar a sua ligação a Madrid.

Entre estes, de acordo com o Africa Monitor, avulta um recente convite do presidente angolano, José Eduardo dos Santos, ao primeiro-ministro espanhol, José Luis Zapatero, para visitar Angola.

O convite foi aceite, mas ainda está por agendar; já a Casa Real espanhola retribuiu a cortesia ultimamente demonstrada por Luanda com a recente viagem a Angola da Infanta Helena, que teve ampla cobertura mediática.

Na capital espanhola, onde frequentemente de desloca o presidente angolano e outras altas individualidades do país – em lazer e em negócios – foi também instalado um escritório de representação da Fundação Eduardo dos Santos (FESA).

No plano estritamente económico, uma emissária pessoal do presidente angolano, Albina Assis, esteve recentemente em Madrid para exortar o presidente da Repsol, Antonio Brufau, a expandir os interesses da companhia em Angola, considerados diminutos para a dimensão da petrolífera espanhola.

No sector energético, é também notória a parceria, anunciada em Junho, entre a Gas Natural e a Sonagas, da “holding” petrolífera estatal Sonangol, para explorar reservas de gás natural em Angola.

A construtora Dragados está actualmente a reconstruir uma antiga rede de hospitais regionais e há orientações para que seja facilitada a entrada de outras empresas espanholas no mercado.

As relações de Espanha com a África de língua portuguesa estão especialmente concentradas em Cabo Verde e Moçambique, tendo mais recentemente sido alargadas à Guiné-Bissau. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH