FMI apela para maior transparência nos gastos públicos em Moçambique

21 August 2007

Maputo, Moçambique, 21 Ago – O director-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Rodrigo Rato, incitou segunda-feira o governo moçambicano a impor uma maior transparência nos gastos públicos, como um dos passos decisivos para o país combater a pobreza absoluta.

Rato sugeriu o rumo que o executivo moçambicano deve seguir na luta contra a miséria no país, em declarações aos jornalistas, após um encontro com o Presidente moçambicano, Armando Guebuza.

O director-geral do FMI encontra-se em Maputo para participar na reunião do Grupo Consultivo Africano (ACG) junto do FMI, organismo de consulta entre ministros das Finanças de África e esta instituição financeira internacional, que se realiza hoje na capital moçambicana.

“A situação macroeconómica de Moçambique é muito positiva, com um crescimento que tem sido muito forte, mas há ainda um longo caminho a percorrer”, sublinhou Rodrigo Rato.

Além de promover a transparência nos gastos públicos, as autoridades moçambicanas devem igualmente estimular a participação do sector privado nacional e estrangeiro no processo de combate à pobreza, disse o responsável.

Para isso, exige-se que o governo crie um quadro atractivo para investimentos, enfatizou o director-geral do FMI, que expressou ainda a sua confiança nos resultados da segunda fase do Programa de Redução da Pobreza Absoluta (PARPA), concebido pelo governo moçambicano para enfrentar os principais desafios do país. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH