Banca angolana com “forte dinâmica” duplicou liquidez em 2006 – Deloitte

21 September 2007

Lisboa, Portugal, 21 Set – A banca angolana quase duplicou a sua liquidez em 2006 e aumentou os depósitos em 62 por cento, de acordo com um estudo da consultora Deloitte divulgado quinta-feira em Lisboa pela agência noticiosa portuguesa Lusa.

O estudo Banca em Análise – Angola 2007, que será apresentado oficicialmente na próxima quinta-feira, dia 27, pela Deloitte Angola em parceria com a Associação Angolana de Bancos, indica que a liquidez dos bancos angolanos aumentou em 96 por cento em 2006.

O ano passado, refere, ficou marcado pela “reorientação estratégica definitiva dos bancos rumo ao negócio da intermediação financeira”.

O sector financeiro angolano “continua a dar provas de forte dinamismo, impulsionado pelos fluxos externos, pela maior agressividade concorrencial entre os bancos existentes e pela abertura de três novos bancos (todos de capital angolano)”, refere a consultora.

O estudo analisa o comportamento de 14 bancos, entre eles vários de capitais portugueses, como o Millennium Angola, Espírito Santo Angola e Banco Fomento (BPI), o Banco BIC e o Banco Totta Angola.

Abrangidos são ainda o Banco Africano de Investimentos, Banco de Poupança e Crédito, Banco Privado Atlântico e Banco Desenvolvimento de Angola.

Pedro Barreto, principal responsável da Deloitte em Angola, frisa que, apesar do bom momento do sector financeiro, a rentabilidade da banca está sob pressão.

“A redução substancial verificada nas taxas de juros ao longo do ano teve um impacto negativo sobre as taxas de rentabilidade dos bancos, que desceram em relação ao ano anterior, continuando, ainda assim, atractivas, quando comparadas com economias mais desenvolvidas”, afirma Barreto.

Em Outubro do ano passado, a Deloitte Angola lançou a primeira edição da publicação anual Banca em Análise – Angola 2006. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH