Trabalhos de prospecção de petróleo na Guiné-Bissau já custaram 25,7 milhões de dólares à Premier Oil

21 September 2007

Londres, Reino Unido, 21 Set – Os trabalhos de exploração de petróleo na Guiné-Bissau já custaram 25,7 milhões de dólares, sem produzir qualquer resultado, de acordo com dados quinta-feira divulgados em Londres pela petrolífera britânica Premier Oil.

O relatório semestral de actividades adianta que o segundo poço pesquisado, “Eirozes 1”, já foi selado e abandonado, depois de resultados nulos durante os trabalhos, no segundo semestre.

O primeiro poço pesquisado, Espinafre-1, foi selado e abandonado em Março, depois de os trabalhos terem falhado “por razões geológicas e operacionais”.

Ainda de acordo com a informação avançada, os custos dos trabalhos – 25,7 milhões de dólares – foram amortizados com a venda à parceira Sterling Energy de parte da participação no bloco Esperança.

A Sterling exerceu uma opção de compra de cinco por cento, passando agora a Premier a deter 30,5 por cento, participação igual à que detém no bloco Sinapa, de que também é concessionária.

Depois de ter completado a aquisição de informação sísmica sobre o “offshore” guineense, a petrolífera retomou no final de 2006 os trabalhos de exploração no país, onde é concessionária dos campos Esperança e Sinapa, na sub-bacia Casamança-Bissau.

Estes têm uma área total superior a 5.800 quilómetros quadrados, com profundidades entre 10 metros e 2.000 metros. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH