China anuncia plano energético para os próximos 40 anos

25 September 2007

Pequim, Chia, 25 Set – A China anunciou um plano estratégico para o desenvolvimento do sector energético até 2050, que prevê projectos de recuperação de carbono e o aumento do uso de energias renováveis, noticiou segunda-feira a imprensa estatal chinesa.

O plano da Academia de Ciências da China (ACC) prevê até 2020 o desenvolvimento de tecnologias para economizar energia e acumular, conservar e reutilizar as emissões de dióxido de carbono, sobretudo sob a forma de partículas de carvão, a principal fonte energética chinesa.

O plano prevê entre 2021 e 2030 o aumento da utilização da energia nuclear e de energias renováveis, segundo a Nova China, a agência noticiosa oficial chinesa.

Nos 20 anos seguintes, até 2050, a ACC defende a redução da dependência das energias fósseis como o carvão, petróleo e gás natural para menos de 60 por cento do consumo total energético.

O plano da ACC é o mais recente de uma série de planos oficiais anunciados no passado – e dos quais nenhum começou ainda a dar resultado – para reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE), que a quase totalidade dos cientistas considera como causadores do aquecimento global.

Pequim anunciou metas de redução de emissões em cerca de 20 por cento até 2010, mas em 2006 os níveis de emissão aumentaram cerca de 1,5 por cento.

O carvão assegura dois terços das necessidades chinesas mas é também a fonte energética mais poluente. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH