Exploração de um barril de petróleo em Angola custa 1,77 dólares

4 October 2007

Luanda, Angola, 04 Out – A exploração de um barril de petróleo em Angola custa em média 1,77 dólares e os custos associados à operação estão avaliados em 2,89 dólares, afirmou terça-feira em Luanda o presidente do Conselho de Administração da Sonangol, Manuel Vicente.

Ao fazer o historial da produção de petróleo em Angola, no âmbito da abertura da II Conferência e Exposição Regional Africana de Exploração e Produção de Petróleo em Águas Profundas, Manuel Vicente disse que dos estudos feitos, de 1980 à presente data, constatou-se que os investimentos realizados têm sido compensados pelo volume de reservas encontradas, níveis de produção aceitáveis e pela alta de preços no mercado internacional.

Disse ainda que 75 por cento da produção total do crude (1,7 milhões de barris/dia) em Angola é proveniente das águas profundas, facto que tem colocado enormes desafios tecnológicos às operadoras, tendo sido pioneiro, neste particular, o projecto Girrassol no bloco 17 e o Grande Plutónio no bloco 18.

De 1976 a 2007, o sector registou uma produção acumulada de 4,5 mil milhões de barris de petróleo.

Actualmente a produção está estimada em 1,7 milhões de barris/dia e em 2008 poderá elevar-se para dois milhões de barris/dia, mantendo-se acima deste valor por um período superior a quatro anos.

O aumento da produção, acrescentou, derivará dos projectos em execução em águas profundas, fundamentalmente o Grande Plutónio, Projecto Tombwa e Lândana e o ínicio da produção em águas ultra-profundas nos blocos 31 e 32, a partir de 2012.

Manuel Vicente adiantou que os investimentos em projectos de pesquisa, exploração e desenvolvimento no sector dos petróleos em Angola poderão atingir, de 2008 a 2011, 66 mil milhões de dólares.

Deste valor, acrescentou o presidente da Sonangol, 51,6 mil milhões de dólares serão canalizados em projectos de desenvolvimento, destacando-se os investimentos em águas profundas e ultra-profundas, assim como o início das actividades nos blocos licitados em 2005 e 2006.

Apenas na década de 90 do século passado, recordou, os investimentos no sector dos Petróleos atingiram 15,5 mil milhões de dólares, para o início da produção de petróleo em águas profundas.

Dos finais da década de 90 até ao primeiro semestre deste ano (2007), disse o responsável, o sector atingiu o auge, registando investimentos na ordem dos 48,3 mil milhões de dólares, destacando-se os projectos nos blocos 14, 15, 17 e 18, assim como actividades de pesquisa intensiva nos blocos de águas ultra-profundas.

Segundo afirmou, desde a criação da Sonangol, em 1976, até finais de 1990, foram investidos 6,1 mil milhões de dólares norte-americanos para o desenvolvimento dos blocos em águas rasas da bacia do Kwanza. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH