Indústria têxtil chinesa quer ainda maior abertura no comércio com a União Europeia

11 October 2007

Pequim, China, 11 Out – Um representante da indústria têxtil chinesa disse quarta-feira em Pequim que a União Europeia deve fazer ainda mais pela liberalização global do sector, apesar de se mostrar agradado com o levantamento das quotas anunciado terça-feira em Bruxelas.

“A indústria chinesa espera que a União Europeia revele maior abertura no processo de transferência de tecnologia e que aumente a cooperação no sector da marca e distribuição”, disse Sun Huaibin, director do Conselho Nacional do Têxtil e Vestuário da China, em declarações aos jornalistas.

Sun pediu ainda para os países-membros serem mais pacientes com os produtores chineses que se empenham para atingir as normas e requisitos técnicos europeus.

Apesar das salvaguardas, o responsável da indústria têxtil chinesa congratulou-se com a decisão da União Europeia de levantar as quotas a partir de 2008, dizendo que ela significa que “a total liberalização do comércio global de têxtil está de novo no caminho certo”.

Bruxelas anunciou terça-feira um “sistema de duplo controlo”, que vai permitir a supervisão das licenças de exportações para a China e as importações da União Europeia em oito das dez categorias mais sensíveis de produtos que a China exporta para a União Europeia.

A Comissão Europeia especificou ainda que o novo sistema se limitará a “vigiar” as importações, e não a restringi-las, e que será particularmente monitorizado o comércio de t-shirts, camisolas, calças para homem, blusas, vestidos, soutiens, roupa de cama e artigos em linho.

A exportação de têxteis provenientes da China chegou aos 19,3 mil milhões de dólares nos primeiros oito meses do ano, 0,88 por cento mais do que em igual período de 2006. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH