Central African Mining and Exploration Company vai produzir etanol em Moçambique

12 October 2007

Maputo, Moçambique, 12 Out – A Central African Mining and Exploration Company (CAMEC), com sede em Londres, vai produzir em Moçambique 120 milhões de litros de etanol por ano tendo o respectivo contrato sido assinado quarta-feira em Maputo com o governo moçambicano.

Assinaram o documento o ministro da Agricultura, Erasmo Muhate e o gerente para Moçambique da CAMEC, Izak Holtzhausen, para um projecto com um investimento de 510 milhões de dólares em que a matéria-prima – cana-de-açúcar – será plantada numa zona de 30 mil hectares no distrito de Massingir, província de Gaza.

Além de produzir etanol para os mercados doméstico e regional, o projecto gerará energia eléctrica para consumo local, criará 7 mil postos de trabalho e terá um rendimento anual de 40 milhões de dólares a partir de 2010.

A obrigação da CAMEC neste projecto denominado Procana é, nos termos de contrato, proceder à demarcação do terreno para a plantação da cana e dar início à construção da fábrica ao longo do próximo ano.

Mas o Procana defronta já a ira dos agricultores da região que afirmam que a barragem de Massingir não tem água suficiente para irrigar a plantação de cana-de-açúcar e as suas próprias plantações mais a juzante no vale do Limpopo de arroz e milho no Chokwe e Xai-Xai.

Os agricultores argumentam que o Procana pretende utilizar 950 milhões de metros cúbicos dos mil milhões disponíveis na barragem para irrigação deixando-lhes apenas 50 milhões mas o assessor de imprensa do Ministério das Obras Públicas, Joaquim Cossa, garantiu que Massingir dispõe de água suficiente para todas as plantações.

A CAMEC é uma empresa melhor conhecida pela sua actividade mineira, explorando cobre e cobalto na República Democrática do Congo.

Em Moçambique, a CAMEC dispõe de concessões em minas de carvão e montou a DECA, uma empresa para a comercialização de produtos agrícolas, na cidade de Chimoio. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH