Rússia quer fornecer mini-central nuclear a Cabo Verde

15 October 2007

Praia, Cabo Verde, 15 Out – O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, admitiu quarta-feira em Moscovo que o seu país está a estudar a possibilidade de fornecer a Cabo Verde uma mini-central nuclear flutuante, soube-se na cidade da Praia fonte oficial.

O anúncio foi feito depois de conversações entre o chefe da diplomacia russa e o seu congénere cabo-verdiano, Víctor Borges, que realizou a sua primeira visita à Federação Russa desde o seu desmembramento da União Soviética em 1991.

Moscovo anunciou, no ano passado, o início da produção de mini-centrais nucleares flutuantes que poderão ser transportadas para qualquer parte do mundo a fim de gerar energia eléctrica.

O projecto já foi apresentado em Cabo Verde pela empresa russa Rosenergoatom, que o desenvolveu e descartou o risco da produção de energia a partir de mini-centrais nucleares no arquipélago.

Os autores deste projecto acreditam que este poderia ser uma alternativa para países como Cabo Verde que têm uma crónica falta de energia e dependem quase em exclusivo do petróleo importado.

O Governo cabo-verdiano solicitou, no entanto, à Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) um parecer sobre a instalação na ilha de Santiago duma mini-central nuclear, que deverá funcionar a partir de uma embarcação.

O ministro da Economia, José Brito, que tutela o sector da energia, disse que a proposta russa é extremamente aliciante do ponto de vista económico, mas afirmou que o Governo cabo-verdiano prefere ter primeiro todas as garantias de segurança antes de avançar.

A proposta apresentada pela Rosenergoatom prevê que Cabo Verde, caso adira ao projecto, não terá de investir nada, apenas comprará a energia produzida a um custo muito mais baixo do que o actual e o lixo atómico produzido será tratado na Rússia. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH