Brasileira Odebrecht investe em Angola na produção de etanol

18 October 2007

Rio de Janeiro, Brasil, 18 Out – O grupo brasileiro Odebrecht anunciou quarta-feira no Rio de Janeiro que vai associar-se aos angolanos Sonangol e Damer para investir 200 milhões de dólares na produção em Angola de etanol a partir de cana-de-açúcar e electricidade.

O projecto, em fase final de estudo, vai ser desenvolvido na província de Malanje, junto à albufeira da hidroeléctrica de Capanda, numa área de 30 mil hectares, divulgou a Odebrecht, em comunicado.

Desta área, 20 mil hectares destinam-se a plantação de cana-de-açúcar e os restantes 10 mil a rotação de cultivo e instalação de uma unidade industrial.

A unidade industrial terá uma capacidade de moagem de dois milhões de toneladas de matéria-prima por safra, produzindo 160 mil toneladas de açúcar, 50 mil metros cúbicos de etanol e 140 megawatts de energia eléctrica por ano.

A sociedade de direito angolano conjuntamente detida, denominada Biocom (Companhia de Bioenergia de Angola, Lda.), será participada em 40 por cento pela Damer, 40 por cento pela Odebrecht e a Sonangol terá os restantes 20 por cento.

De acordo com a Odebrecht, o projecto vem “resgatar um potencial agro-industrial do país, devido às suas características climáticas ou topográficas, que garantiram no passado colonial um papel de destaque entre os países exportadores de `commodities´ no continente africano”.

Para o Brasil, adianta, permite o “reforço do posicionamento geopolítico em África, a disseminação do etanol como biocombustível a nível mundial e a abertura de um mercado de serviços, tecnologia e bens de capital para o agro-negócio brasileiro”. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH