Governo de Cabo Verde quer diversificar relações para mobilizar novos parceiros como a China, Rússia e Brasil

23 October 2007

Praia, Cabo Verde, 23 Out – O governo de Cabo Verde quer reforçar relações diplomáticas com países como o Senegal, Brasil ou Rússia, para assim “conseguir mobilizar parcerias” na nova fase de país de rendimento médio, afirmou segunda-feira na Praia o primeiro-ministro José Neves.

Cabo Verde passa a fazer parte, a partir de 01 de Janeiro de 2008, do grupo de países de rendimento médio, pelo que irá perder alguns dos apoios que tinha até agora da comunidade internacional.

De acordo com o primeiro-ministro, que falava numa conferência organizada pela ONU sobre a graduação do país, é por isso mesmo que é preciso “mobilizar novas parecerias” e ter “uma política de vizinhança inteligente”, que passa por reforçar as relações com o Senegal, Marrocos, Mauritânia e Brasil.

A estratégia cabo-verdiana passa ainda pelo reforço das relações diplomáticas com a Rússia, com países do Golfo Pérsico e com a China, “para diversificar a rede de relações no sentido de conseguir mobilizar parcerias”.

Também os principais parceiros de Cabo Verde (como Portugal), vão ser convidados a mudar o tipo de apoio que prestam agora, adaptando-o à nova situação, disse aos jornalistas o ministro da Economia, José Brito.

Cabo Verde já está na transição para graduação de país de rendimento médio, o dia 01 de Janeiro “é só uma data” e o governo encara a situação na perspectiva de que quer colocar o arquipélago no grupo de países desenvolvidos e não de rendimento médio, disse o ministro.

Cabo Verde foi admitido pela ONU na categoria de países menos avançados (PMA) em 1977, dois anos após a independência.

Em 2004, a Assembleia Geral das Nações Unidas decidiu graduar o país, elevando-o à categoria de rendimento médio, mas deu um período de três anos para Cabo Verde preparar, em colaboração com os parceiros bilaterais e multilaterais, uma estratégia de transição de forma a que a “promoção” não se torne um entrave ao desenvolvimento do arquipélago.

Até agora Cabo Verde conseguiu satisfazer dois critérios de graduação, o rendimento per capita e o índice de desenvolvimento do capital humano. No entanto está longe de atingir o terceiro critério, o índice de vulnerabilidade económica, reconhece o Comité de Políticas de Desenvolvimento da ONU. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH