Moçambique: Concessionária prossegue obras de reconstrução da linha ferroviária Nacala-Lichinga

5 November 2007

Maputo, Moçambique, 05 Nov – Três estações ferroviárias vão ser reconstruídas no âmbito da recuperação da linha de caminho-de-ferro Cuamba-Lichinga, afirmou Fernando Couto, um dos gestores do Corredor de Desenvolvimento do Norte (CDN).

Citado na edição de sexta-feira do jornal Notícias, de Maputo, Couto adiantou que decorrem actualmente os preparativos para o arranque das obras de reconstrução das estações, todas na província do Niassa, cujo montante não revelou.

A linha Cuamba-Lichinga foi durante longos anos considerada como sendo de viabilidade política, mas nos últimos tempos, tanto o governo como a concessionária e agentes económicos da zona começam a acreditar na viabilidade económica daquela infra-estrutura.

É que a economia de Lichinga está quase dependente da viabilização desta linha tendo em conta que o abastecimento em mercadorias é feito, sobretudo, a partir do porto de Nacala.

O CDN está a garantir a ligação Nacala-Cuamba-Lichinga, por comboio, duas vezes por mês sendo o objectivo atingir três a quadro comboios por mês.

Couto disse ainda que a concessionária está a desenvolver um grande trabalho de reparação da linha nos 262 quilómetros de Cuamba-Lichinga para que, gradualmente, a confiança dos utilizadores cresça.

Os sinais que advém deste trabalho são positivos tanto que depois de se ter andado algum tempo com comboios experimentais para Lichinga, a CDN conseguiu assinar três contratos com clientes, o que permitiu aliviar a pressão comercial.

“Temos 25 vagões que estão a ser reparados nas nossas oficinas em Nampula e teremos uns posicionados, permanentemente, em Cuamba. Queremos tornar Cuamba como um ponto importante para o tráfego de Nacala para Malawi e Lichinga”, acentuou Fernando Couto. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH