Angola: Exploração petrolífera em terra vai custar 54 milhões de dólares

6 November 2007

Luanda, Angola, 06 Nov – A exploração de petróleo no “onshore” em Cabinda vai necessitar de um investimento de 54 milhões de dólares, de acordo com uma nota da concessionária, a empresa australiana Roc Oil.

O comunicado citado pelo Jornal de Angola adianta que dois dois três poços explorados no “on-shore” de Cabinda são comercialmente inviáveis.

“O segundo e terceiro poços explorados – Cevada-1 e Soja-1 – mostravam bons indícios de (existência) de petróleo, mas foram considerados sem validade comercial”, pode ler-se no comunicado.

Por seu turno, o petróleo encontrado no primeiro poço pesquisado – Massambalala-1 – é do tipo pesado e viscoso, não o “leve” mais frequente em Angola e nos países da África Ocidental, mais valorizado pelo mercado, e a sua viabilidade comercial está a ser analisada.

A quantidade de petróleo neste poço é cinco vezes superior ao inicialmente previsto – 170 milhões de barris, dos quais deverão estar em condições de ser extraídos 20 por cento, de acordo com estimativas iniciais.

A Roc Oil tem 60 por cento do bloco e estatuto de operador e tem como parceiros a Sonangol (20 por cento) e a Force Petroleum (20 por cento).

Também interessada na exploração do “on-shore” cabindense, região que produz mais de metade das exportações petrolíferas angolanas, está também um consórcio liderado pela norte-americana Devon Energy Corp, que integra a portuguesa Galp. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH